19 setembro 2016

OLÁ MANOS! Semana passada fui experimentar o tão falado Porpino Burger que abriu na nossa amada cidade, eu devo dizer que tudo está conspirando pra que eu não faça posts com fotos aqui, a minha câmera não presta mais, o Jean meu amigo que ia fotografar pra mim esqueceu a câmera e por isso tô prestando contas de que as fotos não estão lá essas maravilhas, mas eu dei o meu melhor com as ferramentas que eu tinha, certo? haha As últimas fotos são do próprio insta da hamburgueria também, mas a opinião é minha, acho importante avisar.

Eu e meus amigos escolhemos o Porpino pra comemorar umas coisas e fomos simplesmente em um grupo de 10 pessoas, então acho que a gente conseguiu experimentar basicamente TODO o cardápio, que não é lá muito grande. Pra começar a gente teve que ir em uma quarta-feira bem cedo, conhecendo esta cidade como eu conheço a gente SABE que a modinha ainda reina, então se você quer ir no grupo de quinta a domingo saiba que você irá pegar uma fila de pelo menos 1 hora pra entrar. Aconteceu isso comigo no Barneys e eu prometi pra mim mesma que nunca mais ficaria em fila de hamburguer, dignidade já! No nosso caso, fomos na quarta por volta das 18h30 e conseguimos uma mesa rápido, quando deu em torno de 19h30 todas as mesas já estavam ocupadas pelo que pude observar, então esse é o jogo – SEMANA, CEDO, NÃO PEGA FILA. Outro ponto importante é que não pense que você chegando cedo você vai comer cedo, o burger demora demais pra sair, mas vamos por partes…

Minhas amigas pediram logo os Milkshakes! Sem dúvida eu teria pedido um também se eu não tivesse cortado o leite da minha vida, mas como uma boa blogueira que sou experimentei pra poder contar aqui meu parecer sobre o Milk, o qual eu já fui especialista na minha antiga vida. Esses são de Morango e Nutella, achei bem enjuentos e não gosto de chantilly, não sei se conseguiria tomar ele por inteiro, mas minhas amigas conseguiram de bouas e pelo que pude ver elas gostaram então…

Já a outra pedida que outro amigo meu fez foi da Salada! Eu sempre acho bem bizarro quem pede salada na hamburgueria, mas não é que tava boa que só? E acho bacana também quando esses lugares se preocupam com as pessoas que não querem comer coisas gordas e colocam pelo menos uma saladinha, quem dera eu me contentar só com isso :) Essa cebola crispy em cima tava maravilhosa, ela vem acompanhada de bacon, mas acredito que você pode tirar, ela tava bem bonita pessoalmente!

E EIS O MEU PRATO. BLUE CHEESEBURGER com cebola caramelizada, queijo, creme de gorgonzola, acompanhando molho Barbecue. Fiquei um pouco insegura de pedir ele porque não curto muito gorgonzola, mas devo dizer que é perfeitamente harmonioso tudo. Eu não aguentei comer o sanduba todo, acabei dividindo com meu amigo, ele é bem grande, mas é MENOR que o Barneys sabe? A carne não é tão pesada, ou seja ela realmente desmancha na boca e a cebola caramelizada é sem palavras! Fiz uma ótima escolha e com certeza comeria ele de novo, fácil.

Esse segundo é o THE CALABRA um Burger com calabresas grelhadas, alface americana, queijo derretido e para completar, um chimichurri com ervas finas, achei esse bem chique e ele é daqueles que quando passa todos olham, bem maior do que o meu, esse foi a escolha do meu amigo e não posso opinar muito, mas só sei que ele é um charme.

Ahhh… as batatas! O que dizer delas? Essa é a Batata Canoa junto com seus molhos incríveis. Eu não sei bem dizer do que são os molhos, mas eu duvido que alguém não goste, a gente pediu bem umas 4 porções dessa porque são simplesmente BOAS DEMAIS e acabavam rápido demais na mesa, não mais que os Muzarellas que acabavam em milésimos de segundos, mas a competição foi forte! Do lado a Pink Lemonade e CHÁ MATE, não tenho muito o que dizer porque não vou pra hamburgueria tomar chá (nada contra quem toma, inclusive contribuíram pra minha foto), mas vamos falar de coca cola né minha gente?

Pra fechar, o ambiente é adorável demais, super amplo, os garçons são super atenciosos e descontraídos, todo mundo se chama pelo nome – achei legal e diferente. As batatas, os sucos, as entradas, tudo chega rapidamente na mesa mas em compensação os sandubas demoram demais, a gente calculou cerca de 40m pro nosso burger chegar. Mas é tudo bem descolado sabe? Não tem prato, é tudo meio rústico e isso dá um clima bacanudo. Os burgers variam entre R$19 e R$25, as batatas ficam entre R$14 e R$19, ou seja sai uns R$35 por pessoa pra você comer bem com tudo que tem direito. No geral, valeu bem a pena.

Agora.. como dizem que tudo que é bom a gente deixa pro final eu não podia me despedir desse post sem falar da Muzzarela Sticks, ela que ganhou o meu coração e de toda a mesa nesse dia. O que é essa Muzzarela gente? Eu poderia pedir um CENTO disso pra levar pra casa seu moço? Eu não consegui nem fotografar porque quando chegava na mesa acabava em 2 segundos, eu juro! E o queijo é exatamente assim como nesse gif, pelo amor de Deus <3

Muzzarela Sticks #porpinoburger

A video posted by Porpino Burger (@porpinoburger) on

18 setembro 2016
Categorias: Post Pessoal

Hoje uma pessoa me disse: tua vida importa muito. E na hora me deu vontade de chorar, por vezes eu pensei, minha vida importa pra quem? Logo eu que venho me sentindo tão sozinha nos últimos tempos, logo eu que olho pros lados e vejo que algumas pessoas das quais eu mais amo ou amei não estão mais tão perto de mim. Carol, isso era tudo que eu precisava ouvir hoje, obrigada! E eu nem preciso saber pra quem na Terra, mas sei que minha vida importa e a sua que tá lendo esse texto também, a sua vida importa pra Deus. Já me disseram uma vez que com 20 e poucos anos as amizades vão sumindo e surgindo. Eu li uma vez também que dos 25 aos 30 parece que você tá indo para o fim, parece que nada mais têm motivo ou razão e eu tenho que concordar com esse texto, às vezes acho que estou vagando por aqui, sem ter certeza de nada, se tudo que fiz até agora valeu a pena, se ainda farei laços duradouros com alguém ou se ainda construirei algo de útil, às vezes me pergunto se ainda estou na adolescência ou se esses são os principais questionamentos da vida adulta.

Hoje é como se a minha vida simplesmente fosse um porto, em que as pessoas vem e vão, algumas demoram mais um pouco, tomam um café, se sentam e até plantam flores bonitas e que me fazem feliz, mas depois simplesmente vão embora, eu sei que não acontece só por aqui, mas é que eu me torno desinteressante ao longo do tempo. Eu tô bem cansada de vê-las indo embora, a verdade é que eu queria que elas ficassem, eu queria poder dizer “ei, eu não queria viver e aproveitar a vida sem a sua companhia, fica por favor?” Porque a vida é só uma e quando você encontra alguns tipos de pessoas tudo que você quer é que elas permaneçam, pena que nem sempre elas querem e isso vai te deixando cada vez mais perguntas – se o problema é com a gente, se fizemos algo de errado, se somos menos legais, se somos tão desinteressante assim e blá blá blá – E assim a gente vai seguindo e sorrindo, colecionando várias perdas ao longo do caminho, parece bacana aquela frase “Vão-se os anéis, ficam os dedos”, eu quero comemorar que estou com todos os meus dedos intactos e lindos aqui, mas devo confessar que eles ficam muito mais bonitos com os anéis que os enfeitavam diariamente.

O que eu sinto cada vez que elas vão embora é falta de cor, as coisas vão ficando meio cinzas. Daí eu tenho que recomeçar a juntar os caquinhos e colorir sozinha de novo e é um trabalho difícil se reconstruir, você pode ser alguém com a melhor armadura já construída no universo, quando alguém for embora da sua vida ainda assim você vai sentir uma pontada feia. Eu não tô falando só de amor que é o que mais rasga e deixa preto e branco, tô falando de todos os tipos de relacionamentos que se rompem ao longo da nossa vida. Se a gente se protege a gente tem que viver com a frieza e a amargura da solidão, se a gente vai em frente e aquece nosso coração, no fim ele se quebra – muito, pouco, rápido ou lentamente. Eu só queria que alguém dissesse que não vai mais embora, nunca mais. Esse é mais um texto que pode não ter sentido algum, é só que às vezes a gente precisa mesmo colocar tudo pra fora, mas pelo menos hoje eu vou dormir sabendo que a minha vida importa, independente de quem vai e quem fica e que Graças a Deus alguém me lembrou disso hoje.

04 setembro 2016

Fui assistir Boca Rosa – A Peça aqui em Fortaleza. Eu conheci a Bianca Andrade em um vídeo há bastante tempo quando ela fazia gambiarras pra gravar e ainda nem tinha o tal ‘cantinho’. E confesso que tava bem curiosa pra assistir a peça pra poder conhecer um pouco mais sobre o caminho que ela trilhou pra chegar onde está hoje, mesmo odiando quando ela fala ‘goxtosas’ eu curto alguns vídeos e principalmente quando o namorado dela grava junto (parece que eu tô falando de uma pessoa de 60 anos né? Mas não, a menina tem apenas 21 anos, eu acho). E eu tenho muita curiosidade pra entender e ver o comportamento das fãs de Youtubers. Como era de se esperar tinha MUITA adolescente, afinal é o público dela e eufóricas diga-se de passagem, essa noite inclusive rendeu longos papos sobre a influência que esses Youtubers estão causando na gente e como tudo isso É LOUCO. Quando ela entrou no palco eu simplesmente não tinha mais ouvidos, eu tenho quase certeza que hoje eu perdi pelo menos 0,1% da minha audição. MAS bem, vamos falar sobre A PEÇA.

Quando a gente já tava dentro do teatro entraram duas mulheres (assistentes de palco da equipe da Boca Rosa mesmo, sei lá) pra conversar, gravar snap e descontrair todo mundo, no começo achei um pouco chato porque eu queria IMPACTO, eu sou fã de teatro e sempre gosto quando tudo se apaga e começa então confesso que isso foi meio broxante já que demorou pelo menos 20 minutos, mas o ponto positivo que eu achei disso é que eles pegaram TODOS os presentinhos que as meninas levaram pra ela, cartinhas, cartazes, tudo com muito carinho e ainda sortearam 10 meninas pra entrar no camarim e falar com ela, coisa que hoje em dia tá difícil quando se fala em artista né? Achei essa atitude muito bacana e atenciosa. TINHA GENTE CHORANDO do lado de fora e eu acho que isso é o mínimo que se pode fazer quando se tem fãs tão fiéis.

Então, enfim a peça começa! A Bia entra com um vestido bem pink estilo debutante e faz uma mini apresentação, começa a falar em todas as dificuldades que ela passa e nas coisas que a mãe dela falava pra ela que se resume basicamente na seguinte frase: primeiro tudo vai dar errado, pra depois tudo dá certo. E então tem um telão de led atrás que ‘suga’ ela pra passar a abertura e a troca de cenário, quando volta já é o “cantinho” dela com uma “Pesquisadora” que é a Betina (a atriz Bia Guedes) que vai ajudá-la a montar a Peça. Na verdade a história mesmo é ‘como elas planejaram fazer a própria peça’ deu pra entender? GRAÇAS A DEUS existe essa Betina, porque ela praticamente salva tudo, todas as partes engraçadas foram as dela e achei a Bianca por diversas vezes forçada por demais, na verdade mais no começo, mas pode ser nervorsismo né gente? Fazer teatro não é NADA fácil, não tem edição, então você tem que demonstrar ali na hora, pei e bufo. Considerando que ela não é atriz e está a pouco tempo com a peça, apesar das partes forçadas, achei que se saiu muito bem no decorrer.

Então o diálogo com a Betina vai se desenvolvendo, ela começa a dizer que quer contar sobre a vida dela toda na peça, sobre todas as pessoas que a ajudaram a chegar até hoje e a Betina vai dizendo que é impossível, que precisa ser um espetáculo de no máximo 1 hora e então a Bia vai contando as fases da vida dela pra que a Betina possa organizar e colocar no texto pra desenvolver as cenas.

Então 1) Ela conta o estágio que teve bullying no colégio, que as pessoas zoavam dela e a mãe dela sempre estava lá pra ajudá-la e ser a melhor amiga dela. Nessa parte eu confesso que ainda estava esperando algo começar, fica tanto tempo nesse diálogo que se torna cansativo, o mesmo cenário sempre e tal. 2) Conta que entrou pra um grupo de dança e então nessa parte entram alguns dançarinos, existe troca de figurino e ela dança muito funk, fala um pouco sobre a comunidade onde ela nasceu e na amiga Jeniffer que deu muita força pra ela quando ela decidiu fazer os vídeos pra internet.

Nesse momento ela interpreta ela mesma e a Jeniffer, achei que ficou BEM CHATO e poderiam ter aumentado esse número de atrizes né? Fiquei com muita vontade de ver uma personagem como a Jeniffer, acho que teria enriquecido demais a peça. Então como – tava faltando atriz – a Bianca interpretava as duas, indo de um lado pro outro fazendo o diálogo-monólogo sabe? Eu tenho certeza se tivesse uma atriz tão massa quanto a Bia Guedes interpretando a Jeniffer seria bem, bem mais legal!

Com o passar da peça, ela toca em assuntos como auto-estima, acreditar em si mesmo, seguir seus próprios sonhos, não desistir, ter um foco, ralar pesado pra conseguir dinheiro pra conquistar as coisas que você quer e chega a hora de falar como conheceu o namorado de 7 anos, o Nando, que também é bem conhecido pelas fãs. Nesse momento eu perdi mais 1,5% de audição. Eu confesso que tava mini ansiosa por essa parte porque os vídeos mais legais dela são com ele, ela conta como foi que se formou o romance, ele aparece, os dois dançam e passa um vídeo no telão da festa de 15 anos dela que ele foi o príncipe, achei fofo, apesar de estar totalmente desacreditada no amor. caiu uma lágrima.

Pra ir fechando se não vai ficar enorme esse post, a peça é dividida pelo menos em 7 blocos demorou mais de 1h30 pra acabar não vai dar pra contar todos os detalhes aqui, mas ela conta também como teve a ideia do nome do blog (foi porque vivia com batom rosa no colégio) e que o Nando foi quem criou o primeiro blog, conta os perrengues que passou pra comprar a primeira câmera, gravar os primeiros vídeos e tudo e tals. O que mais me incomodou realmente foi que não há troca de cenário e eu acho que isso faz MUITA falta em teatro, TEM que ter todo um figurino e cenário pra encantar a gente, concordam? Confesso que a minha opinião final foi: OK, eu demorei pelo menos algumas horas pra conseguir definir um pensamento que desse um post de tão água com açúcar que eu tava. Não é o tipo de peça que você sai maravilhado, que tem uma história que te prende, tá que talvez eu não seja ~o target~.

E eu não pagaria 120 rinhais pra ver se eu soubesse que a peça é isto, eu ri algumas vezes com a Bia Guedes que por sinal é uma das melhores coisas com certeza, gostei das partes das danças dela, mas por diversas vezes você fica um pouco entediado e, nem eu que não acompanho 100% já sabia a história toda só por alguns vídeos, confesso que a Peça não foi lá muita surpresa pra mim. MAS, a mensagem que ela passa é interessante e para ~o target~ muito importante, as meninas (nós) hoje em dia precisamos MUITO de alguém dizendo pra gente o quanto é importante acreditar nos nossos sonhos, em amor próprio e em quanto somos lindas sim, independente do que os outros falam, independente de como seja, acho que a Bianca tá contribuindo para um mundo adolescente melhor e a garota tem carisma, isso não dá pra negar. Ps: Nenhuma foto desse post é minha, é tudo do tio google.

1 2 3 258