11 fevereiro 2016

QUE coisa louca está acontecendo! Eu sempre fui uma pessoa multi, sempre tive trabalho fixo – naquelas velhas horas religiosas de 8h às 18h dentro de um escritório – sempre tive o blog, um namorado, um MBA (ou uma faculdade) pra lidar e um cabelo pra lavar. E sempre lidei muito bem com tudo isso, aliás, quanto mais coisas tivesse melhor, não satisfeita com tudo ainda pegava vários freelas de design e clientes pra atender.

E, assim, eu ia seguindo a vida e dando conta, eu juro que dava conta de tudo (menos do cabelo, confesso!), mas de repente não mais que de repente no meio do final de 2015 simplesmente tudo SUMIU. Minha capacidade de lidar com esse número de coisas evaporou de tal maneira que até agora estou tentando encontrar, de repente me senti sufocada e com uma ansiedade sem limites. De repente foquei em uma das coisas (mergulhei de cabeça real!) e todas as outras sumiram e/ou perderam importância pra mim, será que algum psicólogo explica? Ou é o poder do foco que é grande demais e pude vivenciar isso na prática? Mas, sei lá, eu gosto de ser uma pessoa multi, gosto de ser uma pessoa que faz e conhece várias coisas.

Agora em 2016 bateu o vazio real, me toquei que PRECISO voltar pro MBA, que preciso estar mais presente aqui no blog (com mais textos pessoais, aliás, que é algo que adoro fazer!) que preciso voltar pros meus vários projetos pra realmente me sentir completa. Nesse meio tempo de ‘vazio’ em que me concentrei apenas em uma das coisas da minha vida, pude ver o quanto nós precisamos de impulsos ou então a gente estagna sabe? Precisamos tanto de estímulos de projetos novos, precisamos cultivar nossos sonhos, conhecer gente nova, cultivar nossas vontades pessoais ou então tudo vai ficar adormecido na chamada louca vida de estress 24h de trabalho. Sério, isso pode acabar com você.

Outra coisa que me paralisou real nos últimos tempos foi o MEDO. É, eu nunca fui uma pessoa de sentir muito medo, mas cara a crise nos 23 anos não brinca! De repente comecei a ficar com medo de várias coisas, de fracassar nos meus projetos, do blog não ter mais nenhuma leitora (sim, sou dessas!), de não conseguir realizar, enfim, esse é o meu medo constante. De me tornar uma pessoa parada na vida. Que contraditório, acabei que me tornei uma pessoa parada durante alguns meses simplesmente por ter medo de ser uma pessoa assim, eu sei é estranho. Aliás, esse texto tá ficando confuso pra caramba, melhor eu parar por aqui e voltar à programação normal. Beijos!

Se estiver sem Facebook, comenta aqui :)

  • Caroline @ 11/02/2016 - 22:25

    Ellen também tive essa crise, na verdade as vezes ainda tenho e realmente é tudo isso que você relatou. Hoje eu preciso de algo pra me motivar sim, e dessa vez descontei no Layout do Blog que estou mudando para ver se me dá um UP para os posts, mas isso é normal, é normal da vida a tendência é piorar hahahah, digo piorar no fato que vamos sempre ficar com a sensação de que precisamos de mais, sabe…e no fundo eu gosto dessa sensação, é ela que me impulsiona. É isso! Beijo e março tá ai, hein!

  • Arlene @ 11/02/2016 - 22:33

    Quem nunca passou por esse modo stand by , vai passar!! E como tudo na vida são fases, essa logo passará. Aos poucos, tudo vai se ajustando, e no fim você saberá de forma intuitiva, oo que é necessário, importante e essencial. ????

  • Camila Rech @ 17/02/2016 - 09:06

    Oii Ellen!
    Me identifiquei muito com teu desabafo, eu também sempre fui Multi e sempre dava conta de tudo. E agora esse ano tudo sumiu, estou de férias, pouco trabalho, mas vontade nenhuma de ter muita coisa, acho que perdi o ritmo e pique. E isso me assusta e me da medo, medo de fracassar. Mas algo que penso muito para superar isso é: vou viver um dia de cada vez. Sem pensar no amanhã e depois, vou viver o hoje, afinal, eu nem sei se amanhã estarei aqui. :D
    Acabei desabafando no comentário, ok. UHAHUAHAHU beijos e fica bem! Sempre vai ter eu de leitora viu?

    Meninices da Vida

  • Cee Caffeine @ 17/02/2016 - 13:16

    Adorei o texto! O cotidiano agitado contribui e muito para a ansiedade, e às vezes perdemos o foco do que realmente temos prazer em fazer. E temos que achar nosso equilíbrio.

    Tive uma crise parecida ano passado, joguei um emprego estressante para os ares e fui procurar meu rumo e felicidade. De surpresa, fiquei grávida e estou descobrindo agora como ser mais paciente e lidar melhor com a rotina/ansiedade. Aos pouquinhos, conseguimos chegar, melhor coisa é parar e refletir sobre. Btw, primeiro comentário aqui e pretendo voltar, hahaha.

  • Icasei @ 03/03/2016 - 21:47

    Fooooooco.
    Amei o texto. ;*

  • Laila @ 05/03/2016 - 19:09

    Elleeeeen quanto tempo que não venho aqui e me deparo com esse texto que super me identifico, aliás a minha crise veio um pouco mais cedo aos 20 anos e me afastou não só do blog como de visitar os blogs que amo e sempre foi parada obrigatória como o Nuwem. Realmente isso acaba com qualquer pessoa logo eu que sempre prezei tanto a minha independência me vi escrava da rotina. Mas também estou super otimista pra 2016, também acordei pra vida e voltei a fazer mais do que me faz FELIZ!