28 novembro 2016

Mais um A13 incrível, definitivamente eu não sei como estaria minha vida hoje se eu não tivesse conhecido a Videira. Realmente são os momentos de crise que levam a gente pra frente, que impulsionam, que transformam e eu jamais imaginava que toda aquela crise, todo aquele medo, seria transformado em tudo que eu tô sentindo hoje. Senti muita vontade de registrar aqui no blog tudo que foi dito ontem, porque não pode parar em mim, não pode ficar só lá naquelas pessoas, tem que ir pra frente, tem que ser disseminado. Nesse último basicamente falamos sobre 3 grupos de pessoas e com certeza você – assim como eu – vai se identificar em algum desses grupos, seja agora ou no seu passado.

01. O QUE É SEU, É MEU
Esse é o primeiro grupo de pessoas, o grupo do “O QUE É SEU, É MEU”. São aquelas pessoas que sempre estão prestando atenção no que o outro tem, que sempre estão fazendo questão de se desfazer do que o outro tem de bom. Normalmente a gente costuma chamar de vampiros ou dementadores, aquelas pessoas que quando chegam você já sabe que vão te colocar pra baixo, porque elas não podem ver ninguém feliz que não sejam elas mesmas. A gente precisa se policiar todos os dias pra NÃO ser esse tipo de pessoa, pra aprender a comemorar a vitória do outro, pra ficar feliz com a realização do outro, porque veja bem cada pessoa tem a sua própria história, cada pessoa tem o seu caminho a seguir.

Você já parou pra se perguntar que tipo de pessoa você tem sido na sua casa? no seu trabalho? entre os seus amigos? Você é o tipo de pessoa que encoraja outras ou – até mesmo sem querer – apaga a luz delas? Você traz palavras de benção ou de maldição dentro da sua casa? Você tem consciência do que sai da sua boca, você tem consciência sobre os teus sentimentos? São nesses questionamentos que me pego descobrindo várias coisas sobre mim mesma, como por exemplo, era uma pessoa extremamente julgadora, julgava a mim e aos outros como se essa fosse a minha tarefa da vida, sei que é péssimo, mas também sei que a coisa mais importante é reconhecermos os nossos erros porque só assim iremos conseguir consertar! Hoje consigo me policiar quantos aos julgamentos e críticas que sempre fazia. Tá tudo melhor agora.

02. O QUE É MEU É MEU E O QUE É SEU É SEU
O segundo grupo são aquelas pessoas que simplesmente não se importam com as outras. Infelizmente eu me identifiquei bastante aqui porque já fui muito assim. Eu achava que simplesmente não me importando seria mais fácil, eu não me machucaria e também não machucaria ninguém, eu também não sofreria se elas fossem embora, mas é aquela coisa: essa é sempre a opção mais fácil, não se importar. Mas foi com esse pensamento que cheguei a lugares solitários.

E acho que realmente tem alguns momentos na vida que a gente age assim, se afastando, cuidando apenas do que é nosso e se esquecendo de que viemos aqui na Terra pra compartilhar, pra ajudar e pra vivermos em conjunto. Não dá pra gente viver olhando pro nosso próprio umbigo – eu sou prova viva – não quero mais viver olhando pra minha própria vida e esquecendo das pessoas ao meu redor. Sempre podemos fazer mais pelo outro, sempre podemos ser luz na escuridão de alguém, é o nosso DEVER levar uma palavra amiga, levantar alguém que está caído porque tenho certeza que algum dia alguém te levantou quando você precisou. Não dá pra viver na bolha, delimitando espaços, se tornando frio e distante, a gente precisa se reaproximar do outro e não ter medo. Amar mesmo sem esperar nada em troca.

03. O QUE É MEU É SEU
E agora o terceiro grupo. O que é MEU é SEU. O grupo ideal que precisamos sempre buscar, o grupo do amor e do compartilhamento. O grupo da empatia :) O grupo que entende que Deus não faz nada pela metade, que ele é completo e nos deu tudo que precisamos para nós e para os que estão ao nosso redor, a gente só precisa ver e acreditar nisso. Confiar com todas as nossas fichas e viver em paz, ajudando e servindo ao outro. O grupo que encoraja pessoas, que traz palavras amigas, que está sempre disposto a levantar alguém caído, porque é o grupo que entende que não existe diferenças, que entende que Deus é o Pai do rico e do pobre e que jamais deixará faltar nada, absolutamente nada.

Enfim, não sei se ficou muito claro, aliás eu sempre acho que não me expressei direito nos textos hahaha, mas diário é diário né? Então espero que tenha conseguido passar a mensagem – o importante é que você se pergunte em que grupo você está hoje (sinceramente)? Não tem problema se você não estiver em um grupo que te agrada, o que vale é ter a consciência pra mudar de grupo o mais rápido e ser disciplinado pra andar no caminho certo. NÃO TENHA MEDO :)

25 novembro 2016

Finalmente consegui definir um fundo pro blog que eu realmente me sentisse em casa! E eu nem sei dizer o quanto eu tô apaixonada por esse fundo de nuvens haha até estou mais inspirada e confortável pra finalmente dar andamento no planejamento de posts que eu tenho pra cá. Tem tantos posts nesses rascunhos do WordPress que eu nem sei o que falar, apenas sentir, tenho que terminar tudo kk. E pra começar, comprei esse livro interativo na Amazon já tem um tempinho e por conta do problema da câmera ainda não tinha conseguido fotografar, mas hoje deu certo! Então, vocês já devem ter visto quando eu postei sobre essa linha de livros interativos do Erik Pigani aqui e aqui. Eu acho que sou a fã nº 1 e como disse em outros posts os meus planos são comprar todos esses cadernos de exercícios, eles são incrivelmente fofos e ajudam demais a relaxar e a se redescobrir.

Pra ir completando minha coleção eu comprei esse “Para desacelerar quando tudo vai rápido demais” e o “Caderno de Exercícios para curar as feridas do coração” (esse é mais do que incrível). Eu precisava MUITO reorganizar minha cabeça, porque eu tinha uma péssima mania de dizer que nunca tinha tempo pra nada, depois que comecei a fazer os exercícios e ir pra igreja (sim, ir pra igreja tá me ajudando em 100% das coisas da minha vida) tudo tá mais calmo e tranquilo, os exercícios realmente ajudam a gente a rever prioridades, entender o que faz a gente ter essa percepção de que ‘nunca tem tempo’ e como fazer pra acalmar mais a mente da agitação diária.

As conclusões que eu tenho sempre que termino de preencher os exercícios desses livrinhos é que eu sou mesmo a responsável por trazer problemas pra minha cabeça, é incrível como a gente CRIA TUDO e transforma como VERDADE. Eu pelo menos adotei vários péssimos hábitos e certezas pro meu dia a dia e fiquei completamente cega com a realidade das coisas. A verdade é que eu tenho muito mais tempo pra fazer tudo do que imaginava – nem tanto assim já que passo 10h do meu dia na firma kkk – mas eu exagerava um pouco, claro que eu vou precisar me desligar da Netflix (o que é uma pena, mas não dá pra gente ter tudo né?) e ter mais disciplina com o meu tempo, mas o legal é que no livro a gente vai entendendo o que são os nossos “ladrões de tempo” e traçando planos de como se reorganizar melhor.

Eu sou viciada em facebook e instagram, de minuto em minuto eu paro alguma coisa que eu tô fazendo pra dar uma olhada na timeline, eu sabia que eu era viciada mas o livro me fez perceber o quanto isso atrapalha minha produtividade e concentração, seja lá no que for que eu esteja fazendo.

Outro ponto que eu gostei bastante que ele aborda (sempre com exercícios) é a questão da cobrança e da culpa. Eu me cobro demais o tempo todo, me culpo se não consegui fazer algo, às vezes estou com tantas coisas, não faço nenhuma delas e ‘taco le pau’ a me culpar que sou irresponsável ou a culpar até o próprio tempo! Que pessoa doida né? Mas acho que acontece com a maioria de nós, se enrolar nas próprias atividades e assim, o tempo ele é o mesmo pra todos nós! 24h por dia e fim. Se deu tempo deu, se não deu, só amanhã e a gente tem que aprender a lidar com isso e aproveitar da melhor forma. Viver se culpando/reclamando por isso e aquilo só faz atrapalhar mais e mais.

Ele é leve, fofinho, foca nas atividades diárias simples que ajudam a gente a tirar essa percepção da correria diária, porque são as coisas simples que são as primeiras a serem abandonadas quando entramos no ritmo louco da vida, a gente vai reestabelecendo pequenos hábitos cotidianos que nos faz lembrar que somos vivos pra apreciar a vida, correria só serve pra desgaste e pra dar a sensação de que estamos sendo produtivos, quando na maioria das vezes nem estamos! E o melhor também é que são super baratinhos, em torno de R$12 temers :)

19 novembro 2016

Eu queria começar esse texto te agradecendo por ter salvo a minha vida. Hoje tá tudo bem, mas antes tava tudo tão escuro, se não fosse você eu não sei se ainda estaria aqui, eu me sentia o ser mais solitário do mundo, o ser mais sozinho e mais inútil da face da terra, eu não via motivos pra continuar, eu realmente pensei e quis desistir. Mas, como os teus planos são maiores do que os meus eu só tenho a agradecer por ter me feito abrir os olhos pra ti.

Eu sei que você me chamou várias vezes e eu preferi não escutar, a gente tinha um relacionamento tão vago, eu achava que éramos próximos na minha grande ilusão de que conversava com você através do coração, hoje sei o quanto era (e ainda sou) distante de ti e mesmo assim você não desistiu de mim. Quantas vezes eu fui até a tua casa obrigada por pessoas, eu não tava feliz de estar ali, hoje bem sei que nem deveria ter ido. É tão difícil quando estamos distantes, Deus, a gente realmente precisa calar a voz do mundo pra poder ouvir a tua. Quando me aproximei de ti, me senti tão pequena e um ser tão errado sendo amada de uma forma tão grandiosa que – confesso – até me dá vergonha e arrepios, será que realmente sou merecedora de tanto amor? Eu pude finalmente ver o quanto Tu está cuidando de mim em cada segundo dessa breve louca vida, o quanto tu se importa comigo e com as coisas que me acontecem, o quanto eu não devo questionar e apenas te obedecer.

Eu que antes faltava o ar de ansiedade, hoje não sei mais nem o que é isso. Eu que procurei terapeutas, coaches, mantras, yogas, budas e tudo mais que existe pra tentar uma ‘cura’ pra minha crise existencial mal sabia que o que eu precisava não estava entre os homens e sim em ti e na tua graça. Dizem que todos temos um vazio que só o sobrenatural pode preencher e hoje eu te digo, Deus, muito obrigada por preencher o meu vazio, foi em ti que eu encontrei o verdadeiro abrigo.

Eu que não via sentido algum na vida, agora posso ver todos os sentidos. Eu que não entendia o porque de estar aqui hoje, entendo todos os porquês. Ah, Deus hoje eu queria muito te dizer obrigada e te pedir perdão por todas as vezes que fui injusta (e foram várias!), mas você me/nos entende, somos tão falhos, nos apegamos a coisas tão pequenas, esquecemos o nosso propósito, somos tão tolos e preocupados com coisas tão banais! Mas eu estou comprometida a te seguir Senhor, eu estou comprometida a te encontrar mais e mais, a fazer o nosso relacionamento dar certo porque eu sei que basta eu abrir a porta para que tu possas entrar com toda a tua força do espírito santo e fazer o que meus olhos jamais viram e o que eu jamais poderia imaginar.

Se hoje, Pai, tu já faz além das minhas expectativas eu nem posso mesmo imaginar o que tu ainda farás, eu só sei que já sou muito grata por tudo isso. Hoje, tudo tem mais cor, eu me pego rindo à toa pelos cantos só de lembrar que sou tua filha. Eu consigo me lembrar bem do passado, eu realmente andei pelos vales tava tudo tão sombrio e ruim, mas eu também sei que alguns momentos de desertos são necessários pra que a gente possa reavaliar nosso caminho e pra onde estamos olhando, eu finalmente entendi que não posso me apoiar em coisas falhas, em coisas da Terra ou em pessoas e isso foi o deserto que me mostrou, foi quando tudo ficou vazio que eu pude olhar pra dentro de mim. Eu preciso me apoiar em Ti, porque só tu é a Verdade, o Caminho e a Vida, demora um tempo pra gente perceber isso e mais uma vez eu te peço pra ter paciência com a gente.

Com muito amor, tua filha cheia de defeitos.

1 2