Posts arquivados na categoria: Blog

28 dezembro 2016

Claro que não vai ser novidade se eu disser que 2016 foi um ano péssimo né? Mas foi um ano necessário. Eu tinha que sair da minha bolha conto de fadas, de fato esse ano me mostrou que a vida é muito mais dura do que eu poderia imaginar. É como se até agora eu tivesse vivido em um mundo que não existe e hoje eu posso ver que a vida bate e bate com força quando menos se espera e você sempre vai ter que estar preparado pra isso. Mas como o universo é generoso do mesmo jeito que ele bate em você ele te dá as ferramentas pra enfrentar e te dá um mundo lindo pra viver.

Eu posso dizer que fiz de tudo pra me manter em pé, eu realmente lutei no meu ‘campo de batalha da mente’ e estou bem mais tranquila nesse finalzinho de ano. Eu passei pelos piores momentos psicológicos que eu nunca poderia imaginar e há alguns meses eu jamais pensei que estaria contando isso com tanta tranquilidade e estabilidade emocional haha.

AMOR, DEUS E PERDAS

Enquanto estava na batalha da minha mente, claro que a maioria dos meus projetos ficaram pra trás, definitivamente esse não foi o meu ano, perdi e perdi muitas coisas. Agora posso ver o quanto deixei de sonhar e estava completamente desligada do mundo e do que eu sempre quis pra minha vida, eu poderia dizer que não sei porque aconteceu tudo isso, mas foi uma junção de vários acontecimentos como problemas no trabalho, a distância diária da minha mãe pela primeira vez e o término do meu namoro que eu tanto valorizava. Aconteceram tantas coisas uma em cima da outra que eu simplesmente pifei. Mas sempre tive a consciência de que eram apenas momentos difíceis, nada é pra sempre e cá estou eu, viva pra contar a história – em partes – porque tem muito mais gente conhecida que lê esse blog do que desconhecida hahahaha saudades poder entrar em detalhes como antes!

Não vou fazer muita questão de me lembrar de 2016, mas com certeza ele ficará marcado pelas coisas ruins e pela principal coisa mais importante que aconteceu: Meu relacionamento com Deus. Eu posso oficialmente dizer que sou alguém espiritualmente mais bem resolvida. Acho que finalmente encontrei um caminho pra seguir Jesus e isso tem me dado uma força que eu nem saberia explicar de tão maravilhoso que é! Deus colocou pessoas cruciais e importantes pra me ajudar nessa nova caminhada e aos poucos juntar todos os caquinhos que 2016 deixou.

Posso dizer que me tornei alguém mais humilde e independente também. Amor próprio bateu aqui nessa porta forte e me sinto mais EU. Me cobrava demais, me questionava demais e não me dava ao direito de dizer não pras pessoas ou fazer minhas próprias vontades. Agora eu posso me agradar mais e ser feliz com isso, sem me sentir culpada. Posso usufruir do mundo sem medo. Pude realmente entender que mesmo rodeada de pessoas no final do dia – e da vida – sempre vai ser eu e eu, no fim cada um sempre está cuidando de seus próprios interesses. Então eu não posso ser implacável comigo mesma, eu tenho que amar esse serumaninho que habita em mim. E não tem problema nenhum com isso.

Agora mais pro fim do ano perdemos a minha vó. Ela já estava bem doente e não se lembrava mais da gente, aquela doença difícil sabe? Por mais que tenha sido dolorido, sabemos que agora ela está muito melhor do que estava naquela cama de hospital. Nós não éramos muito próximas porque ela sempre morou distante de mim, mas na reta final foram momentos bem delicados e pude ver o quanto a ajuda de pessoas é importante. Eu passei um dos piores dias da minha vida naquele hospital, disso eu vou me lembrar pra sempre.

O BLOGUINHO

Troquei de layout bem umas 4 vezes esse ano em busca de conseguir voltar com o sentimento que eu tinha pelo blog. Mas isso foi só o reflexo do quão instável eu tava, foi melhor mesmo passar todo esse tempo distante, eu não iria conseguir produzir NADA que preste pra postar aqui!

Acabou que finalmente consegui amar esse daqui e vamos ficar com ele durante todo o ano de 2017 (quando desenhei ele já estava bem melhor da cabeça louca hahaha), quero muito poder fixar uma quantidade de posts semanais e ficar atualizando porque sei que tem gente que vem diariamente aqui, mas uma coisa que eu tenho bem em mente é que o blog não vai ser minha prioridade de vida. Quero continuar trabalhando com marketing e dar continuidade e um foco no meu trabalho como designer e conseguir uns dinheiros pra realizar alguns sonhos, o blog sempre foi meu hobby e assim continuará sendo – até Deus dizer o contrário e quem sabe mandar contratos milionários pra essa página hahahahaha.

MEDO E OPORTUNIDADES

Eu tive muito medo em 2016 e uma coisa que quero muito mudar nesse novo ano é poder aproveitar mais as oportunidades que aparecem. Eu disse pro universo que vou dizer mais SIM pra vida. Aquele passeio inesperado, aquela viagem, aquela pessoa que me convida pra fazer qualquer coisa: eu vou. Vou me jogar no mundão e aproveitar a vida porque ela é uma só. Sempre fui uma pessoa muito quieta, se é algo que vou fazer pela primeira vez tremo na base e desisto. Gravar vídeos novos? VOU! Sempre que tiver algo de interessante pra falar, claro :) E agora decidi que vou fazer diferente porque ‘a vida é trem bala’ né nom?

Sei lá, eu não quero lembrar muito desse ano. Eu lembro muito de escuridão quando falo nele. Mas acho que o mais importante é que todos nós – com seus problemas e desafios – conseguimos chegar até aqui e dizer Adeus. Muitos dizem que nada vai mudar, que o problema não é o ano e tals e pode até ser gente, mas pelo menos esse ciclo de 365 está se encerrando! Vamos ter a chance de reescrever os próximos 365 dias, se Deus quiser, a gente não sabe do amanhã então o principal pensamento que podemos ter é: vamos viver hoje, deixar o que ficou lá atrás mesmo e partir pra uma nova vida, novos planos, novos pensamentos e consequentemente novos sentimentos.

Parece clichê, mas ainda bem que pra todo fim há mesmo um recomeço! Eu desejo que nesse novo ano você se encontre mais consigo mesmo, trate-se melhor, saiba valorizar cada parte da sua vida e veja o quão valioso você é! E você vai precisar lembrar disso todos os dias porque o processo é lento, não vai acontecer um milagre. Você vai precisar ser o seu próprio milagre, mais do que nunca.

Tchau 2016, gratidão pelas dores, elas me tornaram quem eu sou hoje.

28 agosto 2016

Que tipo de pessoa muda de ideia o tempo inteiro e o bastante pra trocar tanto de layout? A geminiana aqui. Eu mesma. Ah gente eu nem tenho mais vergonha na cara de tanto ir e voltar, ir e voltar, eu tô me desapegando das tantas cobranças que faço a mim todos os dias, tava ficando meio barra. Aliás, os últimos tempos foram tudo meio barra, dentre tantas coisas que aconteceram uma das promessas que tinha comentado naquele último post ‘desabafo’ aconteceu: eu finalmente voltei pro MBA! E estou conseguindo cumprir, ir pras aulas direitinho e fazer todos os trabalhos, tô até emocionada!

Dentre tantas mudanças que aconteceram também, uma das mais marcantes foi que meu namoro acabou. Depois de 2 anos eu sou oficialmente uma pessoa solteira e eu não tenho a menor ideia do que fazer, parece tudo bem estranho, é como se tivesse um buraco aqui na minha vida. Eu nem sei se eu deveria estar falando disso aqui, mas eu definitivamente decidi que esse blog precisa voltar a me preencher como antes e a única forma disso acontecer é se eu conseguir usá-lo como diário, o que ultimamente as blogueiras estão evitando ao máximo já que só se fala de makes e looks. Mas, pretendo fazer um post meio reflexivo sobre esses últimos 2 anos que me renderam bastante aprendizado (porque no fim é a única coisa que sobra né? Já que você precisa do dia pra noite deixar de ter contato com alguém que você falava todos os dias da sua vida, isso é bem louco). Mudando de assunto, aprendi a fazer arroz. Mas, como assim você tem 24 anos e não sabia fazer arroz? Pois é mig, sem julgamentos, cada um no seu tempo, good for me.

Depois desse tempo distante do de idas e vindas, de inconstância, de distância dessa vida de blogosfera eu pensei muito sobre o que me afastou e cheguei a conclusão que caí na armadilha dos blogs que eu tanto sempre julguei sabe? Eu não tenho vergonha de dizer, eu tinha me desconectado totalmente com o propósito desse blog, há um tempinho eu jamais escreveria esse post, contando as últimas coisas que aconteceram e simplesmente escrevendo, tudo eu queria fazer era ‘pros outros’, eu sei que tem gente que ainda lê essa página e que tá sempre presente nas minhas redes sociais e que quem consome esse conteúdo são vocês, mas antes de vocês consumirem tem que ser um conteúdo que tem 100% a ver comigo e eu não tava conectada com isso, automaticamente não tava conseguindo produzir NADA que me deixasse feliz, tava achando inútil ter blog, tava me sentindo um fracasso realmente. Sabe o que eu pensava?

Ah, quem vai ler isso? É mais interessante assistir um vídeo da Camila Coutinho. EU TAVA ME COMPARANDO com a Camila Coutinho hahahahahahaha que tipo de psicopata fica fazendo isso consigo mesmo? Então, era um looping infinito: vão preferir ler o post da fulana, as fotos da cicrana são mais bonitas que as minhas, a beltrana tem muito mais seguidores, as pessoas não leem mais textos e assim eu ia me autodestruindo sempre que surgia uma faísca pra vir escrever aqui e me fazendo esquecer cada vez mais o propósito desse blog que é: 01. Escrever e compartilhar as minhas experiências pra quem sabe fazer alguns amigos // 02. Poder sentar em 2025 e dar uma lida em como estava a minha vida em 2016 // 03. Dar dicas pras pessoas que gostam das mesmas coisas que eu, ponto final.

MÃNS enfim! A gente não desiste nunca né? Então cá estou mais uma vez a ativa e com muitos assuntos e dicas do que eu fiz pra melhorar o astral e acabar com a autossabotagem (aguardem posts reflexivos e ‘autoajuda’ que o povo tanto odeia! hahahaha). E queria desde já agradecer a tooodo mundo que respondeu a pesquisa de público que eu tô fazendo sobre o blog nas minhas redes sociais e se você caiu aqui por algum motivo e ainda não respondeu a pesquisa, clica aqui porfavorzinho e responde? E, aproveitei e gravei um videozinho de favoritos de agosto :)

Termino esse post também agradecendo a cada uma das pessoinhas que chega aqui e deixa um comentáriozinho, um coração, qualquer sinal de fumaça pra eu saber que não tô sozinha nessa casinha chamada Nuwem :’)

31 maio 2016

Sempre fui muito sonhadora, quando tinha uns 13 anos imaginava que aos 24 já teria um apartamento, um carro, possivelmente estaria me casando e sendo bem sucedida profissionalmente. Pois é, nada disso aconteceu, continuo morando com meus pais, não tenho carro, não estou perto de casar e minha vida profissional anda bem obrigada, mas nada estrambólico. A verdade é que o mundo anda me fazendo querer sentir culpada por ter 24 e não ter nada disso e – ainda bem – que eu sei que não sou só eu que me sinto assim, tem tanta gente com ansiedade, depressão, ataques de pânico simplesmente por essa cobrança exagerada que o mundo está nos colocando, pra ter X, Y, Z, quando na verdade a gente só precisa de tempo e sanidade pra construir uma vida BOA aos nossos moldes ou até mesmo APROVEITAR a vida que temos. Mas o fato é que hoje resolvi fazer uma pequena lista de coisas que aprendi até hoje.

Toda escolha tem um preço e você não pode se sentir culpado por isso.
A gente precisa aceitar de uma vez por todas que vai chegar uma hora que teremos que escolher e não podemos nos sentir culpados por isso, a vida vai se desenhando sempre de uma forma que temos que abrir mão de várias coisas ao longo do caminho, mas é tão difícil lidar com a culpa e parece que quanto mais o tempo passa, mais a gente tem que aceitar que não vai dar conta de tudo e que sim, teremos de selecionar. Em toda escolha há uma perda e um ganho e a gente vai ter que aprender a lidar com isso todos os dias.

As outras coisas da sua vida são tão importantes quanto o seu trabalho.
Quando foi que a gente se tornou tão psicopata em relação ao trabalho? (Eu digo a gente, mas sou eu mesmo tá?) Eu não quero mais viver pensando em trabalho, pensando que tudo gira em torno de trabalho e acho que se você se identifica com isso, a gente precisa parar agora e olhar em volta. Olha o tanto de coisa que está acontecendo ao nosso redor, olha o tanto de coisa importante que existe enquanto a gente só pensa em trabalho e em ‘chegar lá?’ E que diabos é chegar lá? É ter metas infinitas e desafiadoras? É perder momentos incríveis ao lado de quem você ama porque tá FOCADO na meta? Definitivamente tudo tem o mesmo peso, nossa família, nossa saúde física e mental, nossos amigos, etc. Há alguns anos eu sentia orgulho em dizer que era Workaholic, hoje simplesmente risquei isso da minha bio.

Você não precisa correr, só é importante saber para onde está indo.
Como falei lá em cima, a nova onda do momento é ter 20 anos e ser milionário. E se você não tiver/fizer isso é porque você não está entre os ‘diferenciados’, os que tem metas e os que são ousados. Você precisa correr! Ou então outro mais ousado, outro que nasceu pra fazer a diferença vai tomar a sua frente! RÁPIDO!!!! Porque se você não tem 20 e nem é milionário você não tá fazendo a diferença né? E então migs, todos vivem em um eterno loop de frustração, ansiedade e baixa estima. Eu digo porque já me senti assim muitas vezes, mas eu queria dizer pra você hoje: você não precisa correr. Seria maravilhoso ganhar 1 milhão de reais, mas não é isso que vai determinar se você será feliz. Você apenas precisa saber para onde está indo, com calma, com planejamento, com paz interior e dando o seu melhor.

Não questione o sentido da vida e trabalhe duro, todos os dias, para diminuir o barulho mental.
Cuidado com os seus pensamentos, eles determinam os seus sentimentos. Vamos trabalhar duro pra conseguir manter a nossa mente quieta, serena, pensar com calma em todas as coisas, tomar decisões apropriadas e não se questionar demais – se questionar sim! mas com calma e sabedoria – não vamos ficar nos perguntando coisas as quais não temos as respostas. A gente nem sabe se está preparado para ter a resposta. Eu adoro muito aquela frase que diz: “Se Deus não te deu aquilo que você quer, então é porque ele sabe que você não PRECISA”.

Quando quiser parar um pouco, apenas pare.
Quando a gente tiver de saco cheio do mundo ou de algo, a gente pode apenas parar. É sério, sei que parece difícil, porque somos cheios de obrigações – a gente mesmo se enche de obrigações – se cobra até não poder mais, temos que sempre dar conta, estar disponíveis para tudo e todos, mas quer saber? Não dá (e nem precisamos) estar disponíveis sempre.

E pra finalizar, eu poderia escrever mais alguns tópicos aqui, mas esse blog tá ficando muito ~lições pra toda vida~ quero finalizar com essa pequena frase: Nem ontem, nem hoje, nem amanhã. Apenas o agora, viva e faça o que puder de melhor no seu AGORA. Não vamos viver pensando no que poderíamos ter feito e no que poderia ter sido, nem no que vai ser e esquecendo de viver o mais importante que é o aqui e o agora, apenas o que temos.

Muito obrigada a todo mundo que ainda lê o Nuwem. Ele e vocês são muito importantes pra mim!

1 2 3 42