Posts arquivados na categoria: Filmes

12 maio 2016

Em agosto estreia Águas Rasas. No enredo, uma garota, ao surfar em uma praia isolada, fica presa em uma boia há vinte metros de uma ilha. O grande desafio, no entanto, se revela quando ela descobre que está sendo vigiada por um enorme tubarão branco. Será que com um tema tão repetitivo e, por vezes, ridicularizado, conseguirá restaurar a glória do maior predador marinho? Antes de falar sobre as expectativas do filme, vamos relembrar a trajetória da barbatana mais famosa do cinema.

Tudo começou quando Peter Benchley, no ano de 1974, resolveu criar uma obra ficcional sobre esse predador. Tubarão (Jaws) foi um enorme sucesso e no ano seguinte ganhou uma versão cinematográfica dirigida por Steven Spielberg. Na trama, um tubarão branco ataca banhistas em uma cidade litorânea e um chefe de polícia decide caçar o animal a qualquer custo. Com muito suspense e orquestrado pela icônica trilha sonora de John Williams, o filme se tornou um enorme sucesso.

E o que acontece em filmes com grandes bilheterias? Continuações e cópias.

No ano seguinte ao lançamento de Jaws, estreia Mako, O tubarão assassino (The jaws of death). No longa, um homem descobre que tem uma ligação telepática com tubarões e os usa para matar quem fica em seu caminho. Aquaman, é você? As cenas são uma “gambiarra” sem fim e mostram o animal como vítima do ataque de humanos e não como predador.

E não para por aí. Imagine só… Em 1977 a trama era assim: uma fêmea, grávida, é esquartejada friamente por três homens enquanto seu marido assiste a tudo. Ele, então, decide caçar a qualquer custo cada um que fez aquilo. Poderia ser filme estrelado por Charles Bronson ou Chuck Norris, mas não, essa é a sinopse de Orca, A Baleia Assassina (Orca The Killer Whale). Um novo “tubarão” para não ficar na “cara” a cópia. Um filme meio bizarro e transformando as baleias em seres vingativos e sedentos por sangue. Ainda bem que anos depois tivemos Free Willy.

E seguindo a linha “não copiei apenas peguei como referência”, chega aos cinemas Piranha, que tem como pontos altos o excesso de gore* e o humor negro. Um cardume de piranhas, geneticamente modificadas, escapam de uma base militar e atacam banhistas que cruzam seu caminho. As cenas são ótimas e o filme rendeu uma continuação e dois remakes. E alguns derivados bizarros como o “Piranhas, assassinas voadoras”. Sim. Elas matam e elas voam! Não ficando ninguém a salvo, tanto na água, quanto na terra. Se você achou isso estranho, os filmes com tubarão se tornaram piores, com algumas ressalvas, claro.

*Gore é um termo utilizado para representar gênero de filmes com excesso de sangue, órgãos expostos e outras nojeiras.

Mas vamos voltar ao predador marinho. Tubarão 2 (Jaws 2) estreia em 1978 tentando surfar na fama do primeiro filme, mas a ideia de se produzir uma franquia foi por água abaixo. Na continuação, o filho do chefe de polícia é atacado por outro tubarão, que parece que veio vingar a morte do tubarão anterior. Martin, o chefe de polícia, fica em alerta com o animal até resgatar seus filhos que saem para velejar. Novamente, ele fica cara a cara com o tubarão. O filme é bom, mesmo tendo um final tão ruim.

As sequências não pararam e tivemos Tubarão 3 (Jaws 3-D) e Tubarão 4 (Jaws: The Revenge), totalmente esquecíveis e com uma cena inusitada, por falta de termo melhor, que é o tubarão atacando um helicóptero. (Claps)

Em 1999, surge Do Fundo do Mar (Deep Blue Sea), um dos meus filmes favoritos sobre o gênero. Uma doutora, Susan, está procurando a cura para o mal de Alzheimer e está utilizando tubarões em sua pesquisa. Para isso, elas os modifica geneticamente, os deixando mais inteligentes para que sua pesquisa seja bem-sucedida. Susan e sua equipe ficam presos após uma tempestade, no laboratório, que antes era uma antiga base de submarinos no meio do oceano. Eles ficam cercados por tubarões sedentos, mais rápidos e que anseiam ir ao mar aberto. O filme traz ótimas cenas e sequências de tirar o fôlego. O que abriu margem à exploração de ataques e cenas mais ousadas.

Tempos depois, algumas “tentativas” de filmes não fizeram sucesso, tornando o gênero trash e por vezes cômico. Alguns optaram por ser mais realista como Mar Aberto (Open Water) e outros por serem bizarros mesmo. Tem de tudo! Tubarões em tornado (Sharknado), Tubarão Fantasma (Ghost Shark), Tubarão de duas cabeças (2 Headed Shark Attack), Tubarão Gigante (Mega Shark vs Gigant Octopus), Tubarão das neves (Avanlanche Shark) e porque não um tubarão que ataca na areia (Sands Shark). E, boa parte desses filmes, tiveram sequências e se multiplicaram feito Gremlins.

Dessa enxurrada de filmes, faço duas menções honrosas. Um a Shark Night, que conta a história de um grupo de amigos que se isolam no meio de uma casa no lago. Porém, esse isolamento resulta em um grande perigo. Eles descobrem um braço no lago, deixado por um tubarão sedento, capaz de destruir até barcos e que os caçará para que não retornem à civilização, uma versão adolescente do gênero, feita pelo diretor de Premonição (Final Destination).

O outro filme é Bait 3D, em uma cidade costeira, a população é aterrorizada por um tsunami. Os sobreviventes da tragédia ficam presos em um supermercado junto com um bandido. Além de terem que lidar com a presença do maníaco, eles devem escapar de dois tubarões-tigre que a tsunami trouxe. O filme erra em tentar dar mais profundidade às histórias e vínculos dos personagens. Mas é criativo e assertivo em muitas cenas.

E em 2016, Águas Rasas (The Shallows) chega carregando nas costas toda essa responsabilidade de trazer uma nova maré de filmes desse gênero e uma renovação do tema. No trailer do filme podemos perceber um cuidado na computação gráfica do tubarão. Isso é um ponto positivo. E ainda, cenas que certamente vão lhe tirar o fôlego. A direção fica por conta de Jaume Collet Serra, do eterno filme da tela quente, A casa de cera, e dos ótimos: A órfã e Desconhecido.

Dito isso, podemos esperar um ótimo suspense, já que Jaume sabe trabalhar com um ritmo de tensão crescente. Para que o tubarão não receba toda a atenção, temos no papel principal a bela Blake Lively, uma novata nesse gênero, mas que merece ser posta à prova. Blake é reconhecida pelo público teen e a escolha também, é para trazer uma audiência nova, o que me deixa com um pé atrás, pois sempre que o intuito é encher as salas de fãs eufóricos, quase sempre a narrativa se torna rasa e espero que isso fique somente no título do filme.

O que podemos esperar é que a personagem de Blake, Nancy, travará uma luta intensa com um enorme tubarão branco em meio à praia paradisíaca, que com certeza terá ótimas cenas fotográficas.

O trailer nos avisa: “Não é só mais um dia na praia”, mas na verdade espero que seja uma metáfora para “Não é só mais um filme de tubarão” e que seja um novo renascer para o caçador marinho mais temido da história.

26 dezembro 2015


Terremoto. A falha de San Andreas // Eu sou bem apaixonada por filmes de terremoto e tava ansiosa pra assistir esse. Infelizmente não consegui ver no cinema e o Popcorn acabou me salvando (sim, assisti quando o Pop ainda tava em nossas vidas #rip). Ele conta a história de um terremoto que atinge a Califórnia e faz com que Ray, um bombeiro especializado em resgates com helicópteros, tenha que resgatar a sua filha Blake ao lado da ex-esposa. Não sei vocês, mas o filme me prendeu MUITO. É ação e aflição o tempo inteiro, assistiria de novo, fácil. Quer ver o trailer?

Hotel Transylvania 2 // Tava com preconceito de ver esse desenho e acabei AMANDO de paixão! Não assisti ao primeiro e agora já quero ver. Nesse segundo a vampira Mavis e o humano Jonathan se casaram e continuam morando no Hotel Transilvânia, já que Drácula ofereceu um emprego ao genro. Ele na verdade quer que sua filha permaneça ao seu lado, especialmente quando ela revela estar grávida. Amando a notícia, Drácula torce pra que o neto seja um vampiro de verdade e busca, a todo instante, indícios de que isto acontecerá. Entretanto, o pequeno Dennis está prestes a completar cinco anos e, ao menos por enquanto, tudo indica que ele é um humano normal. É muito engraçado, divertido, fofinho e amável. Pra quem gosta de animação super recomendo, tô doida que saia logo em algum lugar pra ver de novo e o final é surpreendente. 

Poder Além da Vida // Eu resisti bastante pra assistir esse filme, porque não me identifico muito com filmes que envolvem esportes, atletas, essas coisas. Mas agora me culpo por não ter assistido antes! Que lição, que filme maravilhoso! Ele conta a história de Dan que é um talentoso ginasta que sonha em participar das Olimpíadas. Ele tem tudo o que um garoto da sua idade pode querer: troféus, amigos e namoradas. Certo dia seu mundo vira de pernas para o ar, quando conhece um misterioso chamado Sócrates. Depois de sofrer um acidente, Dan conta com a ajuda de Sócrates e de Joy. Ele descobrirá que ainda tem muito a aprender e que terá de deixar várias coisas para trás. Pra quem quer pensar mais sobre a vida, fazer uma reflexão, recomendo demais! E a história é baseada em fatos reais, o que sempre acho mais legal. (Tem no Neflix) Quer ver o trailer?

Sentindo na Pele // Despretensiosamente na minha busca incansável por filmes de suspense na lista do Netflix encontrei esse Sentindo na Pele que é bem legalzinho pra quem gosta do gênero. Ele conta a história da família Hughes que vai para sua casa no campo para superar a morte de sua filha. Logo, conhecerão os vizinhos, uma família com aparência tranquila que tenta de toda maneira se entrosar. Ele demora um pouco pra história desenrolar, mas achei bem bacaninha pra assistir durante uma tarde tranquila. Vale a pena assistir. Ver trailer?

17 outubro 2015

Demorei, mas voltei. Muita gente pode dizer que, infelizmente, aqui no Brasil não temos a cultura do halloween, o que é de fato verdade mas pelo menos nos meus planos uma festa de halloween sempre esteve! Seja com o pessoal do trabalho, aqui em casa mesmo ou com alguns amigos. Este ano convenci alguns amigos a fazer uma festinha de halloween dessa vez e já tô me inspirando e procurando coisas legais pra gente fazer durante essa noite.

Sempre fico ultra empolgada com outubro e assistindo todos os filmes da lista que o Netflix faz em homenagem ao dia das bruxas. Então por que não trazer aqui pro blog as principais coisas que fico separando e que acho legal pra gente usar em uma festinha básica? Tenho certeza que vocês vão curtir!

Começando com as comidinhas, porque o que seria de uma festa sem comidinhas não é mesmo? E sério essa é uma das partes que eu mais gosto, afinal ele complementa quase que 100% a decoração, porque tem tantas ideias incríveis. Essa do cupcake com dentadura é com certeza uma que eu vou fazer, você compra as dentaturas e coloca em cima, mega fácil e beeem legal! Fiquei encantada! Essa do brigadeiro com RIP também foi um dos que eu favoritei, porque também é facinho de fazer, só pegar um biscoito e fazer com brigadeiro :) No último halloween uma ideia bacana também que fizemos foram brigadeiros com pernas de aranha de açúcar, ficou bem legal!

A segunda parte mais divertida, claro é a decoração. Eu sempre sou a responsável pelos morcegos, abóboras, doces, aranhas e tals. Dá pra fazer muita coisa legal só com cartolina preta e laranja. Quem tiver mais dinheirinho pra comprar luzinhas de abóboras fica bem mais bacana, claro :D Mas dá pra customizar os potinhos de pipoca, os copos, as bebidas, a mesa, comprar aquelas espumas que simulam teias de aranha e colocar por toda a mesa e objetos da sala, comprar balões e desenhar carinhas neles, etc.

Outro detalhe super importante que não pode faltar são os filmes pra ver :D Espero que você não tenha nenhum amigo daqueles que fica preparando sustos, mas juntar a galera pra ver filme de terror é VIDA. Separei os que eu tenho mais MEDO, alguns eu não assisti simplesmente por falta de coragem, mas está na minha lista pra ver talvez em algum dia ensolarado bem pertinho da janela com tudo claro hahaha Aconselho MUITO a ver – se você não viu ainda – Sobrenatural e O mistério das duas irmãs (esse é mais tranquilinho, mas bem legal). Eu queria pedir pra vocês deixarem dicas de filmes de terror/suspense BONS pra gente aqui nos comentários.

E pra finalizar as makes que ajudam na falta de uma mega fantasia digna né. Considerando que eu não sei maquiar bem assim vou ficar só na inspiração mesmo, mas com certeza se eu me garantisse iria fazer alguma dessas. A de coringa achei linda, mas acho que a minha fantasia vai acabar sendo essa com lençol mesmo hahaha. Vocês gostam de fazer festa de halloween? Quais os planos? :)

1 2 3 4 5 6 8