Posts arquivados na categoria: Post Pessoal

Posts completos Posts resumidos
10/112017
Leitura focada

É estranho eu nunca ter falado sobre isso aqui no blog já que já são 7 meses de tratamento. Tanta coisa aconteceu nesse tempo, afinal foram quase 5 meses sem postar, acho que nunca tinha ficado tanto tempo sem blogar na vida, mas às vezes é preciso priorizar outras coisas que estão fazendo a gente mais feliz e no fundo eu tava doente pacaramba mores. Se eu tô escrevendo agora, é porque finalmente estou voltando à saúde hahaha.

Porém é um fato: a gastrite alterou muitas coisas na minha vida. Eu não queria falar sobre coisas ruins aqui no blog, mas até que eu pensei: e se eu puder ajudar alguém que está passando pela – barra que é ter gastrite – e as minhas dicas que coletei durante os 7 meses ajudar? e se eu puder ajudar falando todos os meus erros pra que as pessoas não façam a mesma burrice que eu fiz e passem a ter um sério problema de estômago? Afinal, a coisa que eu mais fiz na vida foi pesquisar, pesquisar e pesquisar métodos pra melhorar disso diariamente e sou extremamente grata por cada vídeo que encontrei sobre o assunto, cada post, cada site, tudo ajudou muito no processo da recuperação e acho que posso ser uma agente de ajuda também para as próximas pessoas. Mas, vamos falar do começo.

COMO EU SOUBE

Eu sempre me alimentei mal – sempre mesmo e tenho consciência disso. Era uma escolha. Eu escolhi amar pizza, escolhi ser viciada em chocolates, escolhi fazer da comida um dos GRANDES EVENTOS da minha vida (erro nº1), mas tudo sempre correu bem – meu jantar de fim de semana (ou até mesmo na semana) poderia facilmente ser 2 pedaços de pizza com catupiry e bordas com um copo cheio de coca-cola e de sobremesa (claro) 2 bolas de sorvete de leite ninho com nutella e amandita pra fechar – afinal eu tive uma semana difícil e merecia isso.

Quem lê esse blog há mais tempo ou me acompanha no instagram sabe o quanto eu era a rainha de posts de comida gorda. Eu abusava mesmo de tudo que existia de doce e salgado no mundo. E em 2016 praticamente eu me alimentei de salsichas, enlatados, nuggets e farofas por conta de problemas pessoais de praticamente – morar sozinha e não saber cozinhar nada. Mas a alimentação não foi a única coisa que gerou a Gastrite ‘moderada’ e, pra mim, esse é o ponto mais importante.

Então, eu seguia minha vida – com a barriga bem inchada, muita dor de cabeça, sentindo muitos enjoos, indisposição e mal estar. Até que comecei a ter MUITAS crises de dores de cabeça, todo dia mesmo e então eu tomava 2 doril enxaqueca POR DIA – era a minha salvação porque o paracetamol não funcionava mais já que eu já vinha tomando 1 por dia e não fazia efeito. Eu sentia alguns enjoos com determinados alimentos, mas eu tomava 1 Plasil e melhorava – quem toma sabe o quanto Plasil é um remédio forte que você não deve ficar tomando a não ser com orientação médica e tudo mais (tem casos de pessoas que já tentaram se jogar de janela por conta de efeito colateral de Plasil, então cuidado!), eu tomava 1 por dia também e às vezes até antes de jantar com amigos ou aniversários com MEDO de ficar enjoada, eu já tomava. (hipocondríaca certeza!)

Até que um dia eu jantei normalmente e fui dormir. Acordei por volta das 2h da manhã muito gelada, me tremendo inteira, passando muito mal, meus dedos e pernas começaram a ficar tortos(!!!!) e de fato foi tudo muito estranho, eu não conseguia movê-los e nessa noite eu vomitei muito. Dormi. Acordei no outro dia, fui pro banheiro, me sentindo muito fraca, desmaiei, bati a cabeça no chão do banheiro e fui direto pro hospital. Até hoje eu não sei o que eu tive de verdade naquele dia pra ter ficado com os membros daquele jeito, foi assustador, mas passou, ia ser o início de uma longa jornada.

Fiz todos os exames, a maravilhosa endoscopia e descobri que estava com PANGASTRITE – uma espécie de gastrite moderada e SEM a presença da bactérica H-Pilory, mas vocês tinham que ver a cor do meu estômago, parecia um TOMATE. Eu não consigo imaginar que eu passando por tudo aquilo estava sem a bactéria, imagina QUEM TEM essa maldita? E descobri também que estava com o estômago e o fígado (consequentemente o intestino) contaminados pelo composto do Paracetamol – provavelmente a comida foi 30% e a contaminação e desenvolvimento da doença foi causada 70% pelo uso diários dos antiinflamatórios. FIQUEI NO CHÃO. Simplesmente acabei com meu estômago fazendo o uso incontrolável desses remédios que melhoravam uma coisa, mas simplesmente destruíram outras.

Eu estou citando os nomes dos remédios porque são conhecidos do nosso dia a dia e para que vocês saibam o quanto são perigosos e devem ser tomados com cautela e em apenas casos específicos – quando estiver falando do tratamento não vou citar os remédios que usei, pois tudo deve ser recomendado pelo seu médico, mas tudo que fiz de NATURAL faço questão de compartilhar e por isso resolvi escrever o diário – também pra conversar com outras pessoas que estejam passando por essa experiência, então se você for uma delas e tiver chegado até o fim do post, manda um OI nos comentários?

O post já está bem grande, então no próximo Diário #02 eu volto contando como foi e como está sendo a jornada do tratamento. Hoje eu estou 85% melhor do que alguns meses atrás e contando…

Post Pessoal
20/062017
Leitura focada

Sempre fico me perguntando porque é tão difícil se reconhecer. Deveria ser a coisa mais fácil do mundo, se olhar no espelho e ver quem somos, de fato. Saber a nossa própria essência, nossos princípios e nossos valores, a questão é que a gente até sabe – guardado lá no fundo, mas o mundo fica o tempo inteiro de alguma forma nos apagando. Nós nunca somos suficientes e de alguma forma eu me sinto o tempo inteiro cansada. Eu sei que a cobrança existe e é diária, ela massacra quem somos de verdade e a gente tem que lutar todo dia pra dizer: Ei, eu estou aqui. Existe algo bom em mim. É um trabalho árduo cuidar da própria auto-estima, a gente parece tão bem no instagram, a vida é tão bela nas redes sociais que por diversas vezes me pergunto: onde é que nós realmente estamos? Quem somos no espelho do banheiro da nossa própria casa?

Postei no meu facebook essa semana um pequeno texto que eu senti vontade de dizer pra mim mesma e pra quem eu conheço de que nós estamos indo beme eu só consigo acreditar nisso depois de uma grande imersão espiritual pra finalmente conseguir ver alguma coisa – que nós estamos trabalhando pra caramba pelo nosso futuro, que estamos plantando coisas boas, que nos importamos com as pessoas, que ignoramos coisas más que outras pessoas fazem a gente, que por mais que – não pareça – o nosso trabalho está sim fazendo diferença, que somos vencedores só em conseguirmos levantar de manhã com tanta ansiedade e críticas externas e que estamos melhorando a nossa vida sim – é que todo mundo tem que parecer super-herói sempre né?

Temos que estar o tempo inteiro sorrindo e dizendo que estamos cumprindo nossas metas e cheios de objetivos, planos e sonhos, ninguém nunca quer se mostrar desmotivado e triste com o rumo que estamos tomando, quando na maioria no íntimo todos nós estamos um pouco tristes com esse rumo. Estamos tão preocupados em parecer alguma coisa, em cumprir grandes coisas que nem comemoramos mais nada, nem apreciamos mais pequenos momentos, nem comemoramos mais a formatura porque não temos pós, não comemoramos a pós porque não temos mestrado, não comemoramos o namoro porque não nos casamos e é sempre o futuro, quase nunca o presente. Nem lembramos mais que só EXISTIR já é um puta motivo de comemoração. Se você não se sente assim amiga(o), GOOD FOR YOU acredite que você tá indo maravilhosamente bem!

É tão fácil olhar pro outro e perceber que ele ‘está super bem’ mesmo que não seja essa a realidade, difícil é olhar pra nós mesmos e perceber o tanto de talento que a gente tem, porque cada um de nós temos um talento único – mesmo que você não saiba que talento é esse agora nesse momento, tudo bem sabe? Você vai descobrir.

Mesmo que o mundo esteja tão doido, existem coisas boas nele e existem coisas boas dentro da gente, cada um de nós tem tanto pra contribuir! Problema é que nos perdemos no meio do caminho, começamos a valorizar coisas que são descartáveis, começamos a mudar o foco, a perder a sensibilidade. Eu não quero perder a sensibilidade, não quero perder a minha essência – porque é quando a gente perde a essência que viramos meros escravos emocionais de qualquer coisa. Tudo está bom pra quem se deixa levar pelo mundo e não coloca a sua autenticidade e verdade pra jogo. Eu não sei se esse texto fez algum sentido, mas eu espero que hoje você pare e se reconheça.

Autoconhecimento Diário Post Pessoal
12/022017
Leitura focada

Acho que eu conheci a história do Nick em 2014 e desde lá eu sou simplesmente encantada por ele, já assisti praticamente todos os vídeos no Youtube e li alguns livros, o meu favorito é Uma Vida Sem Limites (estranho eu nunca ter feito uma resenha dele aqui no blog – vou providenciar). E quando eu soube que ele viria pra Fortaleza eu pirei e comprei o meu ingresso o mais rápido que eu pude (Já tinha um tempo que tinha começado a escrever esse post, afinal a palestra dele foi em dezembro, mas só consegui soltar agora hehe), eu definitivamente não poderia perder a oportunidade de vê-lo de perto, de ver como os olhos dele brilham e como ele é encantador também ao vivo!

Pra quem não conhece ainda o Nick Vujicic é um palestrante internacional. Nick roda o mundo com suas palestras e história de superação. Ele nasceu saudável, porém sem braços e sem pernas, vítima da síndrome Tetra-amelia. Nick passou por muitas dificuldades físicas, mas com certeza a maior dificuldade da vida dele foi a mental – como ele arranjou forças pra se tornar o que é hoje? (Era uma pergunta que eu sempre me fazia) Tem muita coisa incrível da história dele pra compartilhar, tentou se matar duas vezes quando criança, mas conseguiu se reerguer e hoje dá EXEMPLO de amor e fé.

O fato é que quando o Nick entrou no palco todo mundo se levantou e aplaudiu de pé, de repente teve um brilho que olhe nem sei explicar. A primeira coisa que ele falou com todos era que nos amava e se preocupou se todos estavam o ouvindo bem e estavam bem acomodados. Ele tinha uma tradutora – sensacional por sinal – que repetia tudo pra gente em português e até com a mesma intonação, ela realmente foi crucial pra que a palestra fosse tão incrível. Mas vamos ao que interessa…

FÉ EM DEUS

A primeira coisa que Nick deixou bem claro: “Se eu não acreditasse no Deus que eu acredito eu não estaria aqui hoje.” Eu poderia muito bem ter me levantado nessa mesma hora e ter ido embora que pra mim já teria valido, porque isso já responde todas as perguntas que eu tinha na minha cabeça, eu sabia que era impossível alguém ter tanta força se ele não acreditasse no Sobrenatural de Deus. Nick não quis prolongar o assunto, Nick não tocou em religião, Nick apenas falou de Deus, de fé e de amor. Se eu pudesse resumir todas as palavras dele seria isso, mas vamos com calma que ele ainda falou sobre muitas outras coisas incríveis.

Ele fez questão de deixar claro que a palestra não era sobre ‘ter uma atitude positiva’ que é o que a maioria das pessoas – e os palestrantes motivacionais – dizem quando você está pra baixo, mas que era sobre MEDO, SOBRE ESTAR QUEBRADO e sobre ter esperança. Porque pode ser muito lindo dizer que vai ficar tudo bem, mas quando você está com MEDO, nos vales e sem esperança não é tão simples assim acreditar em qualquer coisa ou qualquer atitude positiva. Você precisa, além de qualquer coisa, ter CORAGEM. Saber que o medo não vai embora, ele não simplesmente desaparece, os pensamentos ruins continuarão lá, mas você vai ter que enfrentar o seu medo e dar um limite a si mesmo.

ABRACE O FRACASSO

Outro ponto que me chamou muita atenção foi sobre “Abraçar o fracasso”. A nossa geração foi criada para ser atendida, para ser bem sucedida e para sempre estar brilhando e chamando atenção. Só que esqueceram do principal ingrediente disso tudo: o fracasso. Ele existe e é real. As principais pessoas bem sucedidas abraçam o fracasso com muita força, elas lidam com ele, elas tem consciência e aprendem com ele ao invés de desistir ou deixar pra depois. Elas fracassam diversas vezes e com várias intensidades diferentes. Eu, pelo menos ainda preciso de um longo tempo de aprendizagem pra saber lidar com derrotas, quando a gente entende sobre isso, muita coisa fica mais fácil, finalmente entendemos que FAZ PARTE do processo e da caminhada, ou seja, ver os fracassos como oportunidades reais é coisa exclusiva de quem realmente quer vencer na vida e ter sucesso de alguma forma.

NÓS NÃO SABEMOS O QUE PODEMOS CONSEGUIR ATÉ TENTARMOS

Com suas diversas limitações físicas Nick teve que se descobrir a cada momento da vida. Por diversas vezes seus pais não deixavam ele fazer alguns tipos de atividades e ele fazia questão de ir contra e tentar. E de fato ‘nós não sabemos o que podemos conseguir até tentarmos’, se você tem vontade de fazer alguma coisa você já tem o pontapé inicial: a vontade. Não se sabote antes mesmo de tentar – se fracassar lembre-se que é o seu momento de aprendizado – tenha força para se reerguer e continuar tentando. A vida não é sobre sucesso sempre, você não sabe o tanto de talento que tem dentro de si até iniciar algo. Lembre-se também que o seu VALOR HUMANO não é determinado pelo sucesso ou pelo que dizem de você, você já tem o seu valor simplesmente por ser você mesmo.

COMO VOCÊ SE VÊ DETERMINA COMO AS PESSOAS TE VEEM

Existem muitas verdades universais, mas essa é uma das maiores. É incrível como o poder da nossa mente influencia as pessoas ao nosso redor e como a forma que a gente se posiciona em relação à nós mesmos influencia tudo. Se você se sente uma vítima, um coitado desfavorecido que nunca terá oportunidades e que veio ao mundo para sofrer, com certeza assim você será! Nick poderia se posicionar como uma pessoa deficiente que jamais poderia ter sucesso na vida, mas não foi esse o caminho ou o que ele escolheu pensar. E ele bate muito nessa tecla durante toda a palestra – que a forma que você se vê é a forma como os outros vão lhe enxergar. Eu já pude vivenciar isso na prática, quando estou péssima e me sentindo uma vítima nada dá certo na minha vida, é incrível. Quando mudo minha postura em relação a mim e aos outros é quando tudo começa a fluir. Esse é um segredo mega valioso que poucas pessoas dão valor. Experimente.

03 PASSOS PARA COMEÇAR A ACABAR COM A DEPRESSÃO

“Segundo OMS, 121 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo o mundo”. Eu tenho tanto medo de depressão que vocês não tem ideia! E quando o Nick tocou no assunto fiquei muito curiosa porque realmente é algo perigoso e um tanto quanto difícil para conversar sobre. E ele deu 3 passos para acabar com a depressão de forma simples (mas não menos difícil) – se você está nela ou se você acha que está começando a ter.

A primeira coisa é: Seja grato pelo que tem. Quando você tá deprê ou no início da doença a principal coisa que acontece é você esquecer tudo aquilo que tem e achar que tá perdido no mundo, sem pessoas, sem nada de importante e totalmente vazio. Faça força para se lembrar de tudo aquilo que é valioso na sua vida, tudo aquilo que você tem naquele momento – sua casa, sua cama, seu alimento diário, seu pai, sua mãe, seja lá o que for valioso pra você de alguma forma seja grato por isso e se apegue a gratidão diária de forma consciente. Sabemos que tudo fica muito escuro e quase impossível, por isso é preciso fazer bastante força pra se lembrar das coisas que são importantes.

A segunda coisa: Um dia de cada vez – Viva um dia de cada vez, continue fazendo força para não deixar a ansiedade te consumir, não dá pra você acordar hoje e definir como vai ser sua vida daqui há 5 anos ou dar um pulo largo e dizer ESTOU BEM AGORA. Vá devagar, apegado à gratidão diária e tendo consciência de que precisa se curar para sair da escuridão. A terceira coisa: Ajude outra pessoa – Tente sair um pouco da sua bolha e ajudar outra pessoa, você vai ver como isso vai MUDAR a sua forma de pensar e ver a vida. Seja como for a forma, mesmo que nesse momento você não queira e ache isso totalmente estúpido, ajude outra pessoa!

E pra fechar: A esperança é tudo. Tenha esperança em tudo, observe cada momento – seja ele bom ou ruim – acredite nele e que ele tem um propósito de ser. Encare a escuridão como algo que FAZ PARTE e não como algo que quer te atingir e te derrubar. Amo uma frase do Tony Robbin que diz: A vida acontece sempre a seu favor, não contra você. Você só precisa confiar e ter esperança. Desistir não é uma opção. É incrível como tudo isso se encaixou demais em alguns momentos que já vivi e vou levar pra vida sempre que estiver nos momentos bads, eles sempre vem, mas o que nos diferencia é a certeza de que não são pra sempre. É enfrentar que faz a diferença. Lembre disso.

Gostou do que leu? Então nos acompanhe pelas redes sociais para poder ver nossas atualizações e ler os novos conteúdos do blog rapidinho. Dê um like na página do Facebook e siga o perfil @nuwemblog no Instagram. Lembra de deixar seu comentário! :D

Autoconhecimento Diário Livros Post Pessoal
1 2 3 14